Concessões



Camila Brandão. 15. SP ✡❂❥☪
Sabe, quando a gente é jovem parece que qualquer coisa é o fim do mundo. Mas não é. Isso é só o começo. E eu sei que você ainda vai conhecer vários outros babacas, mas um dia você vai conhecer um cara que vai te tratar do jeito que você realmente merece. Como se a vida dele não existisse sem você.
- 17 Outra Vez.   (via tazmahhal)

(Source: senti-mentalizar, via tazmahhal)


Quis voltar para onde tudo parou e tentar fazer de lá um novo começo. Um recomeço qualquer, mais bonito, diferente, sem os erros do passado. Mas percebi que inevitavelmente o tempo passa e as pessoas mudam e as lágrimas secam e você começa a se reerguer devagar. Então, sem tentar fazer força, você olha o que restou dos castelos que a onda levou. E percebe que está na hora de mudar de praia, de areia, de estrutura de castelo. E começar uma nova história. Do zero.
- Clarissa Corrêa. (via inverbos)

(via inverbos)


Moramos na cidade, também o presidente. E todos vão fingindo viver decentemente, só que eu não pretendo ser tão decadente não. Tédio com um T bem grande pra você. Andar a pé na chuva, às vezes eu me amarro. Não tenho gasolina, também não tenho carro. Também não tenho nada de interessante pra fazer. Tédio com um T bem grande pra você. Se eu não faço nada, não fico satisfeito. Eu durmo o dia inteiro e aí não é direito porque quando escurece, só estou a fim de aprontar. Tédio com um T bem grande pra você.
- Legião urbana. (via cerejeiro)

(Source: regou, via cerejeiro)


Eu me sinto às vezes tão frágil, queria me debruçar em alguém, em alguma coisa. Alguma segurança. Invento historinhas para mim mesmo, o tempo todo, me conformo, me dou força. Mas a sensação de estar sozinho não me larga. Algumas paranoias, mas nada de grave. O que incomoda é esta fragilidade, essa aceitação, esse contentar-se com quase nada. Estou todo sensível, as coisas me comovem.
- Caio Fernando Abreu (via repouse)

(Source: recomendar, via repouse)


apagou:

morrendo de amor
Adolescente é buzinado dia e noite: tem que estudar para o vestibular, aprender inglês, usar camisinha, dizer não às drogas, não beber quando dirigir, dar satisfação aos pais, ler livros que não quer e administrar dezenas de paixões fulminantes e rompimentos. Não tem grana para ter o próprio canto, costuma deprimir-se de segunda a sexta e só se diverte aos sábados, em locais onde sempre tem fila. É o apocalipse. Felicidade, onde está você?
- Martha Medeiros.  (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)

(Source: momentos-so-meus, via n-o-v-o-h-e-r-o-i)


Vou inventar avós que nunca morrem, e cachorros também. Eu vou inventar uma verdade sem problemas e um caminho doce pra poder voltar e catar todos os caramelos que tiraram de mim. E mesmo que tudo dê errado, mesmo assim, não tem problema. Eu deito no telhado de uma casa qualquer, olho pro céu e invento uma nuvem que chove sorrisos, bem em cima de mim.
- Los Hermanos. (via poesografa)

(Source: giu-lianna, via poesografa)


No fundo, mas bem lá no fundo, admitir não parece ser tão bom quanto dizem, pois se assim fosse, seria apenas dizer. Soa como uma confissão ou uma obrigação, algo que você não faria, sem um bom motivo. Admitir é praticamente ir contra você mesmo, passar por cima de barreiras pra satisfazer alguém, ou a você mesmo, sei lá. A-d-m-i-t-i-r - É até fácil de escrever, fácil de se falar, só não está sendo fácil praticar.
- Fred Medeiros. (via teleportear)

(Source: autorias, via teleportear)